Witzel precisa ficar mais em casa - Testes da Massa

Witzel precisa ficar mais em casa

Share:

Witzel marca gol do título no Maracanã. Sacanagem, foi só uma foto

Soam os primeiros acordes do cavaquinho. A Beija-Flor de Nilópolis está a segundos de começar seu desfile na Sapucaí. A câmera da TV Globo corta para os puxadores. Emoção. Atrás do lendário Neguinho da Beija-Flor está em postura ereta um homem alto, careca, vestido com um terno preto sóbrio. É Wilson Witzel cantando o samba da escola.

Maracanã, final da Taça Guanabara. O Flamengo empata em 1 a 1 com o Fluminense e a torcida já ensaia ir embora. Arrascaeta cobra um escanteio sem futuro, mas a zaga tricolor se enrola e a bola sobra para um homem alto, careca, vestido com um terno preto sóbrio. Gol do título! É dele, o camisa 20 Wilson Witzel.

Dias desses fui numa coletiva de imprensa do Ronaldinho no Maracanã, onde o ex-jogador ia colocar os pés na Calçada da Fama. Uma bateria de escola de samba foi chamada pra tocar na entrada do Bruxo. Os tamborins começaram a esquentar, os turistas ficaram empolgados, os fotógrafos viraram a lente para a entrada. Era Ronaldinho? Ainda não. Wilson Witzel. Sorriu para câmeras, fingiu defender um chute, fez discurso. O governador está em todos os lugares, e de fato parece muito feliz e empolgado de estar à frente do estado do Rio de Janeiro. Mas, acho que ele precisa segurar um pouco a ondinha. São 21 dias de gestão e tem gente que já não aguenta mais vê-lo.

Acho que Wilson Míssel percebeu que o prefeito Marcelo Crivella é muito criticado por jamais aparecer, nem no Carnaval, nem em desastre natural. O ex-governador Luiz Fernando Pezão era outro que aparecia menos do que aquele seu primo chato de Juiz de Fora. Mas acho que Wisco precisa achar o equilíbrio. A questão não é botar a cara sempre, isso é positivo. A questão é que ELE NÃO TEM CARISMA. Quanto mais um sem expressão como ele aparece pra falar alguma coisa, mais insuportável fica. Fora que, no menor desgaste do governo, isso com certeza será usado contra.

Witzel foi no enterro do primeiro PM morto em 2019

Quando o primeiro policial militar morto no Rio em 2019 foi enterrado, Vilson foi à cerimônia e SEGUROU A ALÇA DO CAIXÃO. Há quem tenha visto como um sinal de compromisso. Em São Gonçalo, onde nasci, chamamos isso de papagaio de pirata, dos brabos. Me lembrou até Jaiminho, o Baixinho, grande ícone carioca que costumava tirar uma casquinha dos links ao vivo do RJTV. Ele foi o maior frequentador de enterros que esse país já viu. Segurou a alça de gente grande, como Oscar Niemeyer. Se continuar assim, Witzel vai bater recorde nacional. Witzel na fila do Guanabara. Witzel na Lavradio. Witzel no ramal Belford Roxo. Witzel no MC Donalds do Nova América. Witzel no Bar do Nanam. Witzel no 362. Abaixo, uma fotogaleria de Witzel em todos os lugares possíveis.

Witzel ficou feliz ao receber um Witzel gigante feito de projetil de bala

Witzel brincou de engraxar o tênis Nike do Ronaldinho
Witzel recebeu uma camisa do Botafogo das mãos do presidente

Também recebeu uma do Fluminense
Witzel faz flexão com punho fechado na sede do Bope


Dicas da semana do seu querido PARCEIRAÇO

Palestras TED_são quase sempre insuportáveis, mas não essa do Marcelo Yuka.  Minha dica de hoje não poderia ser outra: conheça a obra.

Foi um CD pirata que me fez gostar do Rappa. Não sei como aquele disco de 1999 foi parar lá em casa, mas se não fosse ele eu não teria crescido uma criança questionadora. Sem questionar, não teria a ambição de desafiar a sina da família de não terminar os estudos. Até aqui venci, e a partir de agora levo sua memória junto comigo na trincheira da vida. Lado B Lado A sempre tocará alto no meu walkman. Não sei se o ano vai ser do mal, ou se vai ser do bem, mas vamos seguir.




Yuri E.

Jornalista carioca, foi colaborador de veículos como VICE Brasil, The Intercept Brasil e revista piauí. Atualmente, é repórter no jornal Meia Hora.