A arte do neologismo: dez grandes palavras cunhadas por Antônio Houaiss tradutor de James Joyce - Testes da Massa

A arte do neologismo: dez grandes palavras cunhadas por Antônio Houaiss tradutor de James Joyce

Share:

O nome de Antônio Houaiss é conhecido de boa parte dos brasileiros por seu Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Alguns ratos de sebo também o conhecem por sua tradução tão idiossincrática quanto pioneira do romance Ulisses (1922), de James Joyce, a primeira publicada no idioma de Camões (1966).

Cassado da carreira diplomática pela Ditadura Militar em 1964 (tendo já sofrido perseguição anticomunista durante a década de 1950), o então quinquagenário filólogo foi incumbido de um freela particularmente árduo: traduzir em um ano para o português o referido calhamaço do autor irlandês, não por acaso um dos livros que as pessoas mais dizem que leram sem ter lido: além de relativamente extenso (em torno de 900 páginas), Ulisses é um livro tão difícil e intrincado que grande parte dos leitores desiste nas primeiras linhas pelo simples motivo de não terem entendido porra nenhuma.  

Parte da dificuldade reside na linguagem. Espécie de recriação paródica da Odisseia de Homero, o romance de Joyce é um experimento de virtuosismo estilístico, narrativo e lexical sem precedentes. Cada um dos dezoito capítulos é escrito em um estilo diferente, com amplo recurso ao neologismo, à palavra-valise e a possibilidades sintáticas pouco usuais em língua inglesa. Contrariando talvez a máxima de Galway Kinnell segundo a qual a tradução deve ser sempre um pouco mais clara que o original, o texto de Houaiss dificilmente incorre numa explicitação exagerada. Pelo contrário, toda a erudição filológica do dicionarista foi acionada em um esforço criativo de cunhar novas palavras que reproduzissem os neologismos joyceanos.     

Nesse sentido, selecionamos dez grandes palavras cunhadas por Antônio Houaiss em seu tour de force tradutório que vocês podem usar para enriquecer seu textão de Facebook.


1. RUBRICOZIDO (redbaked): cozido até o ponto de avermelhar.
"Lembra-te uma mesquita, tijolos rubricozidos, os minaretes."
2. ONDONDULAR (ripripple): variação ondulante de “ondular”.  
“Via seu corpo e membros ondondulando leve e sustido[...]”
3. CITRINAMARELADO (lemonyellow): de cor amarelo-limão. 
“[...] boiando levitante, citrinamarelado.”
4. SOBRONDULANTE (upwardcurving): que ondula num movimento ascendente.
“Subia pela sobrondulante senda.”
5. UMBILICORDÃO (navelcord): variação de “cordão umbilical.”
“[...]Seu umbilicordão.”
6. CABISMENEIOS (headshake): meneios com a cabeça.
“[...]Cabismeneios.”
7. BARBIMOLDURADO (bearframed): emoldurado por barba.
“[...]barbimoldurado rosto solene.”
8. CADAVERIJUNCADO (corpsestrewn):  cheio de cadáveres espalhados.
“De uma colina por sobre, a planície cadaverijuncada[...]”
 9. NEGRIBORDEADO (blackrimmed): de bordas negras.
“Disse o professor, fitando através das persianas com seus óculos negribordeados.”
10. CADERNIDOBRADO (quirefolded): dobrado na forma de caderno.
“[...]a primeira pilha de folhas cadernidobradas.”

Armênio

Mestrando em Letras e criador compulsivo de páginas no Facebook. Colabora nas páginas Gulag Canavieiro, Jovens Reacionários Defensores da Liberdade Combatendo o Mal, Sinistra Máquina de Memes e mais uma meia dúzia aí.